• Turismo Étnico-Cultural

    Baixe o folder da Rota Dória e entenda mais sobre esse importante projeto. Para mais informações, por favor, ligue ou escreva-nos.


     Folder Rota Dória

    Projetos

    Através de projetos inter e multidisciplinares no ensino extraclasse, oferecemos roteiros que visam mostrar ao aluno a aplicabilidade e a importância do que se aprende em sala de aula.


     Projetos Ecotur

    Roteiros

    Trilhas históricas, rios, piscinas naturais, cachoeiras belíssimas em meio a Mata Atlântica, fauna e flora riquíssimas, construções e casarões que registram a história da pacata cidade de Salesópolis e região.


     Conheça nossos roteiros

Apresentação

A Ecotur – Turismo Receptivo, empresa com sede em Salesópolis, responsável pela elaboração e operação do projeto ROTA DÓRIA, possui profissionais qualificados, oferecendo vivências únicas, com conteúdo aprofundado, qualidade e segurança.


Sobre o projeto

O Município de São José do Parahytinga, hoje Salesópolis, enquanto Capela e Freguesia fazia parte do território de Mogi das Cruzes, posteriormente emancipado. Surgiu entre os séculos XVI e XVII no cruzamento das poucas trilhas que serviam de rotas comerciais e que ligavam o Litoral Norte Paulista ao Alto do Tietê e Vale do Paraíba.

Diante da inexistência de melhores caminhos para o Porto de São Sebastião, o Governo da Província de São Paulo determinou que se iniciasse a abertura de estradas que levassem o comércio, a agricultura e o povoamento às regiões que compreendiam Ilhabela, São Sebastião, Caraguatatuba, Paraibuna e São José do Parahytinga.

As obras só foram iniciadas no princípio do século XIX com a ajuda dos Padres de São Sebastião, então designados como inspetores de estradas. O Padre Manoel de Faria Dória foi o único a completar sua missão e a de seus companheiros, mas com sua morte a principal estrada foi fechada, e por interesses políticos conflitantes, foi proibida de ser mencionada em mapas e documentos a partir de 1843. Nesse tempo, ante a clandestinidade da estrada, as rotas Dória e a do Sal se tornaram Caminhos Clandestinos do Tráfico Negreiro, tornando-se, secretamente, de grande importância histórica, cultural e para o desenvolvimento econômico das regiões que interligavam.

Hoje a “Rota Dória” mapeia os passos dos africanos em terras brasileiras no Estado de São Paulo e se junta, como peça do quebra-cabeça dessa parte da história, com registros históricos e arquitetônicos que se tornaram pontos de visitação, como o Conjunto do Carmo e a Capela do Escravo Sebastião em Mogi das Cruzes, a Vila de Santa Catarina em Biritiba Mirim, o Casarão Senzala e Casarão do Café em Salesópolis, entre outros.

Apagada dos mapas, a Estrada Dória e sua importância para a região ainda permanece intacta na memória dos mais antigos até os dias atuais. Aprender a história que nem sempre foi contada nos livros é enriquecer o conhecimento através da oportunidade de passo a passo vivenciar uma nova Rota Colonial, Turística e Lendária.


Sugestão de itinerários

Veja a seguir sugestões de itinerários, sendo feito observações durante o trajeto, além de outras atividades que poderão ser acrescidas.

Os roteiros sugeridos poderão ser adequados as necessidades e tempo do grupo.


Itinerário I – 1 dia:

  • SÃO PAULO: Pateo do Colégio – destino do Padre Dória quando Deputado Provincial na busca de interesses para a região.
  • MOGI DAS CRUZES: Conjunto Arquitetônico do Carmo e Capela do Escravo Sebastião – observação
  • SALESOPOLIS: Igreja Matriz – Marco Zero – Monumento do Padre Dória;
  • Descida para São Sebastião, através das Rodovias Prof. Alfredo Rolim de Moura e dos Tamoios;
  • SÃO SEBASTIÃO: Sítio Arqueológico de São Francisco/São Sebastião: trilha, visita e almoço no local (Rancho);
  • Passeio de Escuna – entorno da orla até ILHABELA – observação e explanação histórica.

Itinerário II – 1 dia:

  • SÃO PAULO: Pateo do Colégio – destino do Padre Dória quando Deputado Provincial na busca de interesses para a região
  • MOGI DAS CRUZES: Conj.Arquitetônico do Carmo e Capela do Escravo Sebastião – observação
  • SALESOPOLIS: Igreja Matriz – Marco Zero – Monumento do Padre Dória (observação);  Casarão Senzala - café afro;
  • Descida para São Sebastião, através das Rodovias Prof. Alfredo Rolim de Moura e dos Tamoios;
  • SÃO SEBASTIÃO: Sítio Arqueológico de São Francisco, São Sebastião: trilha, visita e almoço no local (Rancho);
  • Passeio de Escuna – entorno da orla até ILHABELA - observação e explanação histórica (opcional).

Itinerário III – 1 dia:

  • SÃO PAULO: Pateo do Colégio – destino do Padre Dória quando Deputado Provincial na busca de interesses para a região.
  • MOGI DAS CRUZES: Conjunto Arquitetônico do Carmo e Capela do Escravo Sebastião – observação
  • SALESOPOLIS: Igreja Matriz – Marco Zero – Monumento do Padre Dória;
  • Casarão Senzala - Almoço;
  • Sítio Chão D’Água;
  • Pouso do Dória e Pedra da Fuga – observação da região;
  • Parque das Nascentes do Tietê;
  • Cruz do Dória – visita;
  • Café Caipira no Casarão do Café.

Itinerário IV – 2 dias:

1º Dia

  • SÃO PAULO: Pateo do Colégio – destino do Padre Dória quando Deputado Provincial na busca de interesses para a região.
  • MOGI DAS CRUZES: Conjunto Arquitetônico do Carmo e Capela do Escravo Sebastião – observação
  • SALESOPOLIS: Igreja Matriz – Marco Zero – Monumento do Padre Dória;
  • Casarão Senzala - Almoço;
  • Sítio Chão D’Água;
  • Pouso do Dória e Pedra da Fuga – observação da região;
  • Parque das Nascentes do Tietê;
  • Cruz do Dória – visita;
  • Café Caipira no Casarão do Café;
  • Jantar – Noite Programada – Pernoite.

2º Dia

  • SALESÓPOLIS: Café da Manhã Afro;
  • Descida para São Sebastião, através das Rodovias Professor Alfredo Rolim de Moura e Tamoios;
  • SÃO SEBASTIÃO: Sítio Arqueológico de São Francisco: trilha, visita com opção de almoço;
  • Passeio de Escuna – entorno da orla até ILHABELA - observação e explanação histórica.

Itinerário V – 3 dias:

1º Dia

  • SÃO PAULO: Pateo do Colégio – destino do Padre Dória quando Deputado Provincial na busca de interesses para a região.
  • MOGI DAS CRUZES: Conjunto Arquitetônico do Carmo e Capela do Escravo Sebastião – observação
  • SALESOPOLIS: Igreja Matriz – Marco Zero – Monumento do Padre Dória;
  • Casarão Senzala - Almoço;
  • Sítio Chão D’Água;
  • Pouso do Dória e Pedra da Fuga – observação da região;
  • Parque das Nascentes do Tietê;
  • Cruz do Dória – visita;
  • Café Caipira no Casarão do Café;
  • Jantar – Noite Programada – Pernoite.

2º Dia

  • Café da Manhã Afro;
  • Descida para São Sebastião, através das Rodovias Professor Alfredo Rolim de Moura e Tamoios;
  • SÃO SEBASTIÃO: Sítio Arqueológico de São Francisco, São Sebastião: trilha, visita com opção de almoço;
  • Passeio de Escuna – entorno da orla até Ilhabela - observação e explanação histórica.
  • ILHABELA – Noite livre e pernoite

2º Dia

  • ILHABELA: Café da manhã e saída para passeios Terra e Mar – Jipe e escuna - Castelhanos / Bonete / Praia da Fome, são os três principais destaques no passeio, além é claro de outras paradas e paisagens.
  • FIM DO PASSEIO

Recomendações

  • Roupas e calçados confortáveis, cumprimento de horário e lanche leve e água sempre;
  • Trilha ideal (sítio Arqueológico): acima de 10 anos;
  • O passeio não é recomendado para pessoas portadoras de distúrbios respiratórios, cardiovasculares ou hipertensão.

Solicite detalhes do projeto para sua escola ou grupo. Temos outras opções de roteiros.